NORMALIZAÇÃO RADIOMÉTRICA DE IMAGENS LANDSAT DA BACIA DO RIO ITAJAÍ

 

Otávio Georg Júnior (Bolsista)

Odirlei Jeremias (Bolsista)

 

Adilson Pinheiro (ORIENTADOR)

Alexander Christian Vibrans (CO-ORIENTADOR)

 

(Departamento de Engenharia Florestal/Universidade Regional de Blumenau)

 

 (INTRODUÇÃO) A adequação radiométrica de imagens de satélite é necessária para estudos multitemporais do uso do solo e da cobertura vegetal. (OBJETIVOS) Os objetivos do presente estudo foram: a normalização radiométrica de uma série de imagens Landsat dos anos entre 1985 e 2002 que cobrem a bacia do Rio Itajaí, em Santa Catarina; a análise da eficiência dos procedimentos descritos na literatura, especificamente para o estudo da dinâmica da cobertura florestal. (METODOLOGIA) Para a correção dos efeitos atmosféricos, as imagens georeferenciadas foram, inicialmente, submetidas ao método de subtração dos valores de cinza com baixas freqüências. Diante de resultados insatisfatórios, as imagens foram retificadas radiometricamente, de acordo com o método proposto por HALL et al. (1991). Na série temporal das cenas retificadas foram comparados alvos pseudo-invariantes e de diversos tipos de vegetação natural. (RESULTADOS) A aplicação da correção atmosférica pelo método de subtração não levou a resultados coerentes. A resposta espectral dos alvos pseudo-invariantes mostrou-se estável nas imagens retificadas. A análise dos índices de vegetação na série temporal evidenciou valores relativamente estáveis das florestas bem desenvolvidas e aumento dos valores ao longo do período estudado na vegetação em processo de regeneração. O NDVIMIR permitiu a diferenciação mais nítida entre os estádios sucessionais da vegetação, seguido do NDVI. Ambos são sensíveis ao aumento da biomassa principalmente das áreas que estavam em estádio inicial em 1985. O SAVI e o SAVIMIR não mostraram-se eficientes para tal fim. (CONCLUSÃO) O método de CHAVEZ (1988) não resultou numa correção atmosférica adequada. A retificação radiométrica proposta por HALL et al. (1991) mostrou resultados satisfatórios. Este procedimento resultou numa série retificada, na qual foi possível registrar as diferentes formações secundárias da vegetação bem como o aumento da biomassa das formações iniciais da sucessão. (PIBIC/CNPq-FURB)

 

 (PALAVRAS-CHAVE) Sensoriamento remoto, retificação radiométrica, análise multitemporal.