Facebook Twitter Imprimir

PRESS-RELEASE


18/10 - Universitários ajudam a identificar crianças na Oktoberfest


Em pouco mais de uma semana de Oktoberfest, mais de cinco mil crianças já foram identificadas pelo serviço Kinderhaus. Presente na Oktoberfest desde 2002, o Kinderhaus é uma atividade organizada por acadêmicos voluntários da FURB, contemplando diversos cursos, mas com destaque para Pedagogia. O trabalho desempenhado por cerca de cem estudantes envolvidos neste projeto consiste em basicamente identificar crianças de até doze anos com uma pulseira, contendo informações como nome, idade e telefone de contato dos responsáveis. 
 
Em 2019, o Kinderhaus conta com duas estruturas no Parque Vila Germânica. Uma delas monitorada por voluntário na entrada do setor 1 do parque, em espaço aberto para receber os pequeninos que se perdem. Contam inclusive com uma espécie de cineminha para tranquilizar os pequenos enquanto seus responsáveis são localizados. A outra estrutura está bem ao lado das catracas que dão acesso ao complexo turístico, em que é realizado o cadastramento entregue a pulseira de identificação. Todos os voluntários do Kinderhaus estão com uma camisa rosa e devidamente credenciados.
 
A acadêmica do curso de Pedagogia, Marina Ziemiczak, considera imprescindível esta experiência em sua formação profissional. “Sempre procurei participar do Kinderhaus. Em todos os anos de minha graduação, apenas no ano passado acabei não conseguindo participar. Nós recebemos AACCs, credenciais específicas e alimentação, trabalhamos em horários alternados de segunda a sexta das 18h às 23h e aos finais de semana das 11h às 23h, dentro das possibilidades de cada voluntário”, explica a jovem.
 
O turista Bernardino Cordeiro, que esteve frequentando o Parque Vila Germânica na noite desta quinta-feira e realizando o cadastro de seus netos Lucca e Maria Lucia, de 4 e 9 anos respectivamente, achou boa a intenção deste trabalho. “Sempre é muito grande a possibilidade de uma criança se perder em meio a tanta gente. No momento em que uma criança é vista chorando por algum profissional responsável ou por qualquer pessoa, basta olhar a pulseira de identificação e entrar em contato, diminuindo o trauma para a criança e o desespero para os pais”, pontuou o visitante.
 
Em nove dias de festa, cerca de cinco mil crianças já foram registradas em 2019. Para o diretor de eventos do Parque Vila Germânica, Luiz Koerich, a Kinderhaus é um mecanismo de segurança. “O pai ou a mãe, além da própria criança, recebem a pulseira e isso é muito importante. Pessoas conhecidas nos relatam que este mecanismo realmente funciona, os seguranças não permitem a saída dos pais sem que elas estejam acompanhados de sua criança. E para nós é uma honra poder prestar este serviço de forma totalmente gratuita há tanto tempo para as pessoas que nos visitam”, registra Koerich.
 
 
Publicação: Central Multimídia de Conteúdo/Jornalismo | Texto: | Foto(s): Gregory Martins



Painel