Facebook Twitter Imprimir

ARQUIVO DE NOTÍCIAS


06/09/2016 - Jornalismo e Publicidade presentes no Intercom


Os cursos de Jornalismo e Publicidade representam a FURB no 39º. Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom), que este ano se realiza entre os dias 5 e 9 na Universidade de São Paulo (ECA/USP). O Congresso da Intercom retoma o tema da relação Comunicação & Educação, objeto de seu VIII Congresso, realizado há 30 anos também no Estado de São Paulo. Desde aquela época a interface Comunicação/Educação ampliou-se e constitui-se enquanto espaço fundamental para  democratização das relações e inclusão social. 
 
A coordenadora do curso de Jornalismo da FURB, professora Dra. Roseméri Laurindo, participou, ontem à noite, da abertura do Congresso. “Um aspecto fundamental da abertura foi o pronunciamento oficial da direção da Intercom contra as medidas do Governo Temer em relação à EBC", informa, em primeira mão (inclusive enviando a nota oficial, abaixo).
 
São muitas as autoridades presentes no Congresso, que reúne 3.500 pessoas do Brasil e do exterior. Do Brasil todos os principais estão presentes. Do exterior, ocorreu,  hoje pela manhã, a conferência de Guillermo Orozco Gomez. Entre, outros, também participa o espanhol Francisco Sierra, presidente do Centro Internacional de Estudios Superiores de Comunicación para América Latina (CIESPAL).
 
 
Roseméri Laurindo é coordenadora do GP de Generos Jornalísticos, que tem ainda as professoras da Furb Clarissa Josgrilberg Pereira e Wania Bittencourt.
 
No Expocom concorrem as acadêmicas Alice Gramkow (Jornalismo Literário) e Vanessa Eskelsen (Telereportagem). 
 
No GP de Publicidade apresenta a professora Roberta Del Vecchio.
 
A professora de Fotografia, Anamaria Teles, também participa.
 
Laurindo anuncia, ainda, que apresentarão a versão digital do livro editado pela Edifurb: Jornalismo Comparado: Um Dia de Crise na Imprensa Brasileira, amanhã, às 8 horas, em debate nacional sobre a pesquisa feita. “Ainda não será o lançamento do livro, cuja versão impressa não ficou pronta em tempo”, informa, em meio às suas atividades no evento.
 
Nota da Intercom sobre a extinção do Conselho Curador da EBC
 
 A Diretoria da Intercom, Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, junta-se ao seu grupo de pesquisa Rádio e Mídia Sonora na manifestação pública de sua indignação quanto a MP 744/2016 do governo Temer, publicada no Diário Oficial desta sexta-feira, 2 de setembro, que alterou a Lei 11.652/2008, de criação da EBC - Empresa Brasil de Comunicação.
 
Sociedade científica que reúne no país o maior número de pesquisadores, em diferentes graus de formação, professores universitários e profissionais do campo da Comunicação e áreas afins, a Intercom repudia as ameaças que essa medida provisória impõe ao sistema público de comunicação, em especial quanto às suas potencialidades de pluralismo, inclusão e participação social. 
 
A EBC, Empresa Brasileira de Comunicação, reúne emissoras de rádio e de televisão e uma agência de notícias, que atuariam como âncoras para o efetivo funcionamento do sistema público de comunicação, previsto inclusive na Constituição Federal de 1988 ao tratar da radiodifusão brasileira. Para isso, um de seus diferenciais era a existência de um Conselho Curador, composto por representantes do governo, do Congresso Nacional, dos trabalhadores e majoritariamente da sociedade civil. Ao extinguir o Conselho Curador, responsável por zelar pela independência editorial, analisar e aprovar as diretrizes de conteúdo e os planos anuais de trabalho da empresa, a Medida Provisória retira o caráter público da EBC, e as possibilidades do acompanhamento de sua gestão pelos cidadãos brasileiros.
 
A extinção do Conselho Curador representa um retrocesso na construção de um sistema público em Comunicação, no que tange ao processo de construção de conhecimento e expertise na área. Desde 2007 o Conselho tem se pautado pela abertura aos pesquisadores, e realizado parcerias com pesquisadores da UnB, UFSC, UFC, UFJF, UFRGS entre outras instituições de ensino, sem mencionar a constituição do Centro de Pesquisa da EBC, o que permitiria a formação de competência especializada a partir da atuação também profissionais concursados da empresa.
 
Assim, sua extinção tem o significado de perdas e ameaças importantes quanto à possibilidade efetiva de participação da sociedade e sobretudo quanto à independência da EBC em relação ao Governo Federal.
 
Destaca-se ainda que a publicação dessa medida provisória ocorre sem discussão com os diferentes setores da sociedade diretamente implicados em suas determinações, e desconfigura legislação que representava uma conquista dos brasileiros, uma resposta à longa trajetória de demandas da sociedade para o exercício de seu direito à comunicação e informação, expressas entre outros momentos no Fórum de Televisão Pública, realizado em maio de 2007.
 
São Paulo, 5 de setembro de 2016.
 
Press-release: 06/09/2016 10h03 | Publicação: 06/09/2016 - 10h03 - Gabinete da Reitoria/Jornalismo | Texto: Michel Ivon Imme Sabbagh | Foto(s): Divulgação

Setembro/2016 (alterar)

30/09/2016 29/09/2016 28/09/2016 27/09/2016 26/09/2016 23/09/2016 22/09/2016 21/09/2016 20/09/2016 19/09/2016 16/09/2016 15/09/2016 14/09/2016 13/09/2016 12/09/2016 09/09/2016 08/09/2016 06/09/2016 05/09/2016 01/09/2016


Painel