Facebook Twitter Imprimir

ARQUIVO DE NOTÍCIAS


05/12 - Tese analisa territorialização das corridas de rua do Brasil


A doutoranda Camila da Cunha Nunes, do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade Regional de Blumenau fará a defesa pública de tese no dia 7 de dezembro, a partir das 14 horas, na sala D-401.
 
“Território e esporte: o processo de territorialização das corridas de rua do Brasil” é o título da tese.
 
Compõem a Banca Examinadora: Prof. Dr. Marcos Antonio Mattedi – FURB; Prof. Dr. Luis Paulo Gomes Mascarenhas – Universidade Estadual do Centro Oeste; Prof. Dr. João Derli de Souza Santos – Centro Universitário de Brusque; Prof. Dr. Adolfo Ramos Lamar – FURB; Prof. Dr. Clovis Reis – FURB; Suplentes: Prof. Dr. Luciano Felix Florit – FURB e Prof. Dr. Gilberto F. dos Santos - FURB.
 
RESUMO DA TESE
 
Esta tese aborda as questões relativas à relação entre esporte e território, com base na análise das corridas de rua no Brasil e, mais especificamente, da Maratona de São Paulo. Os elementos que sustentam e incidem sobre as corridas podem se converter em demarcadores territoriais, isto é, é possível estabelecer o(s) território(s) da corrida de rua por meio dos seus atores. Dependendo do parâmetro e localização temporal, o território se modifica, aspecto esse que demonstra que a corrida de rua configura o território e, ao mesmo tempo, o território a configura.
 
Diante disso, para entender o processo de territorialização das corridas de rua, faz-se necessário compreender seu contexto histórico e o modo como se dispersa e se concentra no território. Considerando isso, tem-se como objetivo analisar a territorialização e sua influência no/do Circuito Esportivo Territorial das corridas de rua no Brasil.
 
Para tal, realizamos uma pesquisa qualitativa de caráter exploratório, bibliográfico e documental e desenvolvemos uma análise discursiva e contextual. As corridas de rua, visualizadas a partir das maratonas, possuem uma lógica própria de espacialização com concentração das provas nas regiões centro-sul. Quanto mais centrais as corridas, maior a necessidade de ancoragem territorial, fato que demonstra que o Circuito Esportivo Territorial é assimétrico territorialmente.
 
Dessa forma, sua dispersão e institucionalização se estabelece por diversos atores de diferentes formas, podendo ser explicada por alguns fatores e atores que são percebidos no Circuito Esportivo Territorial, a saber: entidades administrativas; regulamentação e equipamentos; políticas públicas de incentivo; eventos; Rede Nacional de Treinamento; equipes ou grupos de corrida; promotora de eventos; revistas e sites especializados. Esses atuam sobre/pelo território estabelecendo o processo de desenvolvimento e difusão das corridas de rua.
 
No caso específico das maratonas o processo de difusão, permeado pela adoção da prática, apresentou distintas etapas, variando dos modos mais informais aos mais formais. Essas formas de desenvolvimento atestam que em uma mesma localidade, as corridas de rua, especificamente as maratonas, podem manifestar e vivenciar distintas etapas de inovação.
 
Além disso, retrata nos eventos esportivos, a redefinição temporária dos territórios urbanos causando, de certa forma, uma desordem nas ruas promovidos pela (re)estruturação do território com vistas a comportar momentaneamente o evento. A partir disso, parece haver um paradoxo em torno das corridas de rua, pois na medida em que a corrida de rua se disseminou territorialmente, mais central tornou-se a Maratona de São Paulo.
 
Embora seja reconhecido que há uma primazia de SP e RJ na adoção e difusão das corridas de rua, de forma estruturada por meio dos eventos, não se pode determinar um ou dois pontos específicos onde às corridas de rua foram introduzidas e difundidas espacialmente, pelo fato de ter-se conhecimento de iniciativas em outras regiões que fundamentam a sua popularização.
 
No entanto, reconhece-se que as metrópoles contribuíram para a sua difusão de modo hierárquico. Percebeu-se, ainda, que há a formação de um cluster esportivo territorial temporário durante os eventos de corrida de rua. 
Press-release: 30/11/2017 13h43 | Publicação: 05/12/2017 - 00h01 - Gabinete da Reitoria/Jornalismo | Texto: Michel Ivon Imme Sabbagh | Foto(s): Divulgação


Painel