Facebook Twitter Imprimir

NOTÍCIAS


19/10 - Doutorando faz pesquisa sobre homicídios no Brasil

“Violência, Território e Desenvolvimento: uma proposta de análise dos homicídios do Brasil baseada nos determinantes socioambientais da saúde”. Este é o título da tese de doutorado de Clovis Wanzinack, elaborada para o Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional - Doutorado em Desenvolvimento Regional. O objetivo do acadêmico é investigar a relação entre violência, território e desenvolvimento, por meio de uma proposta de análise dos homicídios no Brasil levando em consideração sua distribuição espaço-temporal e sua associação com determinantes socioambientais selecionados.
 
Segundo a pesquisa, o Brasil tem o maior número absoluto de homicídios do mundo e, em cada cem pessoas que são assassinadas por ano no planeta, cerca de 13 são registrados no Brasil. Todavia a distribuição desses homicídios não é uniforme no território brasileiro e há muitas lacunas no estudo dos determinantes relacionados a tal quantidade de homicídios.
Para fins de sistematização, a tese organiza-se em forma de três artigos científicos, cada qual com sua descrição metodológica específica.
 
Referente ao primeiro artigo, alguns Determinantes Socioambientais da Saúde (DSS) se sobressai no cenário brasileiro contemporâneo, como a relação mais pronunciada de homicídios com homens, jovens, negros, com baixa escolaridade, que vivem em locais de grande desigualdade social, como periferias urbanas e fronteiras agrícolas, somados à falta de trabalho/renda e tráfico/drogas, sendo comum a intersecção entre diferentes DSS.

O segundo artigo demonstra uma análise da relação dos homicídios com as co-variáveis população (sexo, raça/etnia e faixa etária), taxa de urbanização, IDH-M e coeficiente de GINI, onde a violência homicida está diretamente relacionada com espaços com maior população, maiores taxas de urbanização e maior coeficiente de GINI (locais onde há maior desigualdade); enquanto a relação com IDH é inversa, ou seja, os municípios com maior IDH possuem menos risco para violência homicida.

O terceiro artigo revela: uma média nacional de homicídios indígenas de 22,5 por 100.000 habitantes indígenas por ano; a taxa de homicídio de homens indígenas foi 2,4 vezes mais alta que de mulheres, mas a taxa relativa às indígenas foi mais que o dobro das não-indígenas; elevadas taxas de homicídios de crianças indígenas (menores de 1 ano) em áreas dos estados de Roraima e Amazonas; a distribuição de grande parte dos homicídios contra indígenas nos estados do Mato Grosso de Sul e Roraima.

Para saber mais detalhes e os resultados da pesquisa, basta assistir a defesa, agendada para quarta-feira, dia 24 de outubro.
 
Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional - Doutorado em Desenvolvimento Regional
Tese: “Violência, Território e Desenvolvimento: uma proposta de análise dos homicídios do Brasil baseada nos determinantes socioambientais da saúde”
Doutorando: Clovis Wanzinack
Orientador: Clóvis Reis
Defesa: dia 24 de outubro (quarta-feira), às 14h, na Sala F-101, Campus 1 da FURB
Press-release: 19/10/2018 10h51 | Publicação: 19/10/2018 - 15h51 - Gabinete da Reitoria/Jornalismo | Texto: Giovana Pietrzacka/Divulgação | Foto(s): Divulgação

Outras notícias

14/11/2018 13/11/2018 12/11/2018 09/11/2018 08/11/2018 06/11/2018 05/11/2018 01/11/2018 31/10/2018 29/10/2018 26/10/2018 25/10/2018 24/10/2018 23/10/2018 22/10/2018 19/10/2018 16/10/2018 15/10/2018 11/10/2018 09/10/2018 08/10/2018 05/10/2018 04/10/2018 01/10/2018 28/09/2018 22/08/2018 18/05/2018


Painel