Facebook Twitter Imprimir

VIOLÊNCIAS, MASCULINIDADES E POLÍTICAS PÚBLICAS

 

 

Porque cursar   

 
Ser um profissional estabelecido e posicionado sobre a história e as atuais políticas públicas é um grande diferencial para atuação frente às questões sociais. As violências de gênero têm exigido da sociedade diferentes estratégias de combate e isso implica na compreensão da raiz dos problemas até novas maneiras de enfrentamento. Como pauta emergencial diante da legislação, é de extrema importância que os profissionais se capacitem e se qualifiquem através de conhecimentos teóricos e metodológicos, considerando a interdisciplinaridade de saberes sobre as diferentes formas das violências de gênero e a integração qualificada das áreas acadêmicas para a compreensão das políticas públicas atuais.
 
A partir da Lei Nº11.340/2006 (Lei Maria da Penha), surgiram novas demandas de ordem social que culminaram na Lei Nº13.984/2020, que estabelece duas novas medidas preventivas urgentes que implicam na frequência do agressor a centro de educação e na reabilitação com acompanhamento psicossocial por meio de atendimento individual ou em grupo de apoio. Portanto, é imprescindível que as estruturas da sociedade estejam preparadas para estas demandas numa perspectiva além do encarceramento ou marginalização social e, também, mais ampla, que abrange outras violências de gênero.
 
A especialização em Violências, Masculinidades e Políticas Públicas se propõe ao entendimento concreto das origens e ao desenvolvimento de estratégias para o aprimoramento das maneiras de atuação da sociedade por completo, assim como dos órgãos competentes perante a desigualdade de gênero. Neste sentido, o curso capacita profissionais das diversas áreas do conhecimento para uma compreensão  das violências de gênero contra as mulheres; contribui para a qualificação profissional de indivíduos que atuam com violências de gênero nas políticas públicas; promove a integração de saberes de áreas afins, educação, serviço social, direito, ciências sociais e psicologia, sobre o tema da violência, políticas públicas, diversidade e formas de enfrentamento e qualifica profissionais no campo dos direitos humanos, oferecendo-lhes elementos teórico-metodológicos para um exercício profissional interdisciplinar.
 
Quem pode cursar: Profissionais graduados em serviço social, psicologia, pedagogia, direito, ciências sociais, gestão pública e áreas que atuam ou pretendem atuar em campos vinculados na rede de atendimento direto ou não das famílias em situação de violência.
 
 
Coordenação: Prof. Dr. Ricardo Bortoli
 
Doutor em Serviço Social pela UFSC, atua como docente na FURB e participa do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Serviço Social e Relações de Gênero (NUSSERGE) e do Grupo de Pesquisa Margens (Modos de Vida Família e Relações de Gênero), ambos vinculados à UFSC. Atuou como assistente social no Programa de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e Intrafamiliar na Prefeitura Municipal de Blumenau e  desde 2004 atua como facilitador de grupos reflexivos para homens autores de violência no CREAS/Blumenau.
  

As aulas

Início: 26/11/2021 
Frequência: quinzenal 
  • Sextas: 18h às 22h
  • Sábados: 8h às 12h e das 13h às 17h
Local: Online ao vivo, via Microsoft Teams
 

Matrícula

Período: 24/09/2021 a 10/11/2021
 
 
Egressos da FURB que participam do Alumni FURB ganham 20% de desconto. Empresas e entidades conveniadas também têm benefícios.
 
  • É necessário o preenchimento do número mínimo de candidatos para a abertura do curso de especialização. Caso não seja preenchido o número mínimo, à Instituição reserva-se o direito de não abrir turma.
  • O contrato e boleto de matrícula serão enviados por e-mail quando o oferecimento da turma for confirmado.

           

Investimento

  • Opção 1: matrícula de R$ 325,00 + 23 parcelas de R$ 325,00
  • Opção 2: matrícula de R$ 433,35 +17 parcelas de R$ 433,35
  • Opção 3: matrícula de R$ 650,00 + 11 parcelas de R$ 650,00
  • Opção 4: pagamento à vista no valor de R$ 7.332,00

 


Painel