Facebook Twitter Imprimir

ARQUIVO DE NOTÍCIAS


23/04 - FURB alcança melhor índice em avaliação nacional de cursos


Foram divulgados nesta sexta-feira, dia 23 de abril, os resultados do Índice Geral de Cursos 2019 (IGC), um dos Indicadores de Qualidade da Educação Superior no Brasil, calculados anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). A Universidade Regional de Blumenau atingiu a nota 4 (de 5) do IGC.  
 
Foram analisadas mais de 2 mil instituições de ensino superior (IES) do país, o equivalente a 79,3% daquelas ativas no Censo de Educação Superior 2019. Destas, 85 são IES de Santa Catarina, e 23 alcançaram a faixa 4 de IGC, entre elas a Universidade Regional de Blumenau. “É a primeira vez que chegamos nesse resultado”, comemora a reitora da FURB, Marcia Sardá Espindola.  
 
O Índice  Geral  de  Cursos (IGC) é um dos Indicadores de Qualidade da Educação Superior composto pelos Conceitos Preliminares de Curso (CPC) dos cursos de graduação e os Conceitos Capes dos cursos de programas de pós-graduação stricto sensu das Instituições de Educação Superior. 
 
“Um bom IGC significa que as ações desenvolvidas na instituição estão adequadas e estamos no caminho certo para consolidar a FURB como referência em qualidade. Outro aspecto importante desse resultado é o reconhecimento externo de todo trabalho que nossos servidores desenvolvem, seja na docência, na coordenação ou nos setores que apoiam nossa atividade fim. Também não podemos deixar de reconhecer a competência dos nossos estudantes, pois o resultado obtido no ENADE de 2019 foi fundamental para atingirmos o IGC 4”, comenta o pró-reitor de Ensino de Graduação, Ensino Médio e Profissionalizante da FURB (PROEN) da FURB, Romeu Hausmann. 
 
O pró-reitor também destaca os números registrados “ em 2019, contamos com 81,07% de docentes mestres e doutores e 54,82% de docentes em regime de trabalho integral ou parcial, comparados aos 79,83% de mestres e doutores e 35,24% de docentes em regime de trabalho integral ou parcial de 2018. Como resultado, o conceito contínuo (CPC) de 12, dos 18 cursos avaliados aumentou em relação ao ciclo anterior e, consequentemente, obtivemos IGC 4”. 
 
Os cursos de graduação que obtiveram CPC 4 no Enade de 2019 são Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Telecomunicações, Engenharia Elétrica, Biomedicina, Enfermagem, Fisioterapia e Nutrição. O curso de Farmácia obteve CPC 5.
 
O pró-reitor explica que uma das estratégias adotadas logo no início desta gestão, em 2019, foi a reestruturação do setor que cuida dos dados institucionais. “Foi realizada uma verdadeira devassa nas informações que alimentam os dados do Censo, com isso foi possível melhorar a qualidade das informações que prestamos ao MEC. Também desenvolvemos simulações com nossos dados para que fosse possível realizar análises preditivas dos principais indicadores. Essas ações permitiram identificar as melhorias deveríamos implementar. Outro trabalho importante foi o apoio aos cursos que fariam o ENADE, os coordenadores receberam dados estatísticos detalhados sobre o curso, mostrando onde seria possível implementar melhorias”, conta Romeu.   
 
O IGC é utilizado como indicador para subsidiar políticas públicas, além de servir como requisito, critério seletivo ou distinção para a oferta de cursos de pós-graduação stricto sensu a distância, e programas e políticas públicas do Governo Federal, como o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID).  
 
Já o CPC se destina a avaliar a qualidade dos cursos de graduação através de quatro dimensões: o desempenho dos estudantes concluintes no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade); o valor agregado pelo processo formativo, determinando o Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD), a partir do desempenho dos estudantes (quando ingressantes) no ENEM; o corpo docente, com informações sobre a titulação e o regime de trabalho dos docentes vinculados aos cursos avaliados; e a percepção dos estudantes sobre as condições do processo formativo, incluindo informações sobre a organização didático-pedagógica, a infraestrutura e instalações físicas e as oportunidades de ampliação da formação acadêmica e profissional. 
 
Das 33 IES públicas municipais do Brasil, três têm conceito 4, e a FURB é uma delas.  
 
Publicação: 23/04/2021 - 20h27 - Central Multimídia de Conteúdo/Jornalismo | Foto(s): CMC


Painel